sexta-feira, 21 de abril de 2017

Eleição no Sindipetro-RJ nos dias 25 a 28.



Aos Petroleiro(a)s do Rio de Janeiro!
Resultado de imagem para sinedino e Graça Foster
Entreguismo!
A nossa chapa 1- “Unidade para Lutar – FNP/CUT” nasceu de uma plenária no último dia 30, onde todos os agrupamentos que compõem a atual direção foram convidados nominalmente (PSTU/CSP-Conlutas/PCB/ MAIS/Inimigos do Rei/Anarquistas e Independentes), bem como toda a categoria petroleira.
A nossa proposta seria dividir democrática e igualitariamente a direção, incluindo Coordenação/Colegiados e liberações. Nesse sentido, realizamos inúmeras reuniões. Todavia, surpreendentemente, faltando pouquíssimo tempo pactuado para fecharmos a chapa, fomos traídos pelo outro grupo, sob a hegemonia do PSTU-CONLUTAS e seus “cordeiros”. Ao invés da unidade, muito pelo contrário, apelaram para a divisão. Elaboraram e baixaram o “Ato Institucional 1”: Ficou declarado que não mais fariam chapa com nenhum membro do grupo Unidade para Lutar, principalmente com os companheiros Emanuel Cancella e Edison Munhoz. Do grupo Independente, vetaram pelo AI-2, os nomes dos valorosos companheiros Gilberto, Arthur Ferrari e Lucas.
A chapa 1 - “Unidade para Lutar” é oficialmente da FNP. Dos 45 membros inscritos, constam dois valorosos companheiros, Abílio e Joacir Pedro (ex-diretores do Sindipetro-RJ por muitas gestões), que são membros da FUP  e que, sensível ao momento que vivemos, entendem como todos nós, que o mais importante neste instante é a UNIDADE DE TODA A CATEGORIA PARA LUTAR.

Para a nossa plenária do dia 30, anunciamos amplamente que discutiríamos tudo, desde composição da chapa a políticas a serem implementadas na próxima gestão, ou seja, quem quisesse contribuir e se candidatar, companheiros ativos e aposentados, deveriam comparecer na plenária.
Diante da divisão imposta pela outra chapa, buscamos unir o máximo de companheiros da base. E usamos, na plenária, como critério de chapa, deliberação da nossa FNP e de nossa base. A FNP, por exemplo, deliberou no último congresso em Macaé: Unidade FUP e FNP para lutar. E vem também da maioria de nossa base, de ativos e aposentados, a orientação: “Vocês têm que parar de brigar e se unir, FNP e FUP, para enfrentar os inimigos poderosos da Petrobrás e dos petroleiros, ativos e aposentados”. O último Congresso dos Petroleiros, em São Paulo, uniu os sindicatos da FUP e da FNP.
A nossa chapa tem orgulho da nossa última gestão, diferentemente da outra chapa que a deprecia, apresenta-se oportunisticamente como oposição, apesar de ter em sua composição, a maioria da atual direção.

A nossa direção foi a única, dentre os 17 sindicatos de petroleiros, que foi interpelada por Pedro Parente e toda sua diretoria. O Coordenador da Secretaria Geral do Sindipetro-RJ, Emanuel Cancella, foi intimado pelo MPF por ter denunciado formalmente, aquele Ministério, a omissão da Lava Jato em relação à gestão do tucano Pedro Parente. Isso porque Parente promove um verdadeiro feirão com os ativos da Petrobrás, vendendo sem licitação até campo do pré-sal (Carcará), a preço de um refrigerante o barril. E a Lava Jato não toma qualquer providência! Estão entregando nossa Petrobrás e retirando nossos direitos, como Beneficio Farmácia, que hoje sobrevive com o reembolso dos remédios comprados, num processo complicadíssimo. Nos dois últimos acordos foram retirados: aumento real de salário, PLR e abono. A AMS, deteriora-se cada vez mais, com avanço das negativas de tratamentos.  

Não dá jamais para esquecer que o principal apoiador da chapa 2, Silvio Sinedino, enquanto representante dos petroleiros no C.A da Petrobrás, eleito com nosso apoio, jurando defender a Petrobrás e lutar contra a entrega de nosso petróleo, votou favorável à venda do campo BS-04 (Bacia de Santos 04), sem licitação, a pedido de Graça Fortes, para favorecer Eike Batista. Na época, enquanto dirigente da AEPET, condecorou Foster, que defendia os leilões do petróleo brasileiro.
Enquanto Sinedino votava favoravelmente a venda de ativos, a direção do Sindipetro-RJ fazia o enterro simbólico de Graça Foster, em frente ao Edise. Mantinha em seu blog, durante anos, várias denúncias do casal na Petrobrás praticados por ela enquanto gerente no Cenpes. Recentemente, a FNP aprovou, por unanimidade, a entrada na justiça para recuperar esse campo para a Petrobrás. Os sócios da  Aepet cobram uma posição da direção.

A atual direção do Sindipetro-RJ organizou o ato contra o leilão de Libra, recebendo tiros de bala de borracha e enfrentando bombas da Guarda Nacional. E ainda entramos na justiça também para barrar o leilão de Libra.

Na ultima gestão do Sindipetro-RJ, usando a arma dos nossos enterros simbólicos, reintegramos dois companheiros do E&P, injustamente demitidos.
Nas últimas gestões, ocupamos vários prédios da Petrobrás em defesa dos aposentados. Para barrar os leilões de petróleo, ocupamos várias vezes a Agência Nacional do Petróleo – ANP; o ministério de Minas e Energia; a sede da Petrobrás. Alguns de nós, nessas manifestações, fomos presos e outros tiveram braços e cabeças quebradas.   
Por isso, nestas eleições, pedimos a você, bravo e consciente petroleiro, o voto para a Chapa 1- “Unidade para Lutar – FNP/CUT para continuar a luta, com determinação, EM DEFESA DA PETROBRÁS, DA SOBERANIA NACIONAL E DOS DIREITOS CONQUISTADOS!

  
           


Nenhum comentário:

Postar um comentário