segunda-feira, 24 de abril de 2017

República de Curitiba amarelou!

por Emanuel Cancella


Resultado de imagem para Lula e Moro?
O juiz Sérgio Moro adiou a audiência de Lula, que seria em Curitiba, no dia 3/05/17, sob a alegação de que acata pedido da Polícia Federal, a qual teria pedido mais tempo para organizar a segurança. Isso é desculpa esfarrapada, já que a audiência estava marcada há muitos dias e tempo não faltou para ser organizada essa segurança.
O problema é que, além dos ônibus alugados, que seriam de vários estados, muita gente comprou passagem aérea para o ato. Quem paga a conta?

Os coxinhas, ligados a Moro, chegaram a soltar nota ameaçando os manifestante pró Lula que iriam para o ato, quando se sabe que todos os atos que envolvem o ex-presidente Lula são pacíficos.
Somos de paz, apesar de a sociedade já enxergar os absurdos do juiz chefe da lava Jato, Moro, e do chefe de sua Força Tarefa, Deltan Dallagnol.

Para enganar a sociedade sob o mote do combate à corrupção, Moro na verdade deixou o caminho livre para os golpistas destruírem a Petrobrás.  

FHC também faz parte desse conluio para entregar a Petrobrás aos gringos. Quando presidente, FHC fez de tudo para privatizar a Petrobrás e por isso hoje é protegido pela Lava Jato, apesar de inúmeras denúncias contra o governo de FHC na empresa, algumas até envolvendo seu filho(1).  

Da mesma forma que protege o entreguista FHC,  agora a Lava Jato finge que não vê a gestão lesa-pátria de Pedro Parente, que está promovendo uma verdadeira liquidação de bens públicos, conquistados por décadas com suor e sangue do povo brasileiro. E entrega tudo sem licitação, para quem quer e por preço irrisório.

Exemplo desse bota-fora é o petróleo do pré-sal, do campo de Carcará, vendido a preço de um refrigerante o barril. E Parente já fez isso antes, é reincidente nessa prática perniciosa, o que já lhe rendeu uma ação da qual é réu quando ministro de FHC (3). E cadê a Lava Jato que dizia defender a Petrobrás?

Nem mesmo uma denúncia formalizada ao MPF, em novembro de 2016, levou a Lava Jato a investigar Pedro Parente (2). Conseguiu-se, na Justiça, uma liminar sustando a venda do campo de Carcará, mas a Petrobrás se esvai. São inúmeras irregularidades na gestão de Parente e mais de dois milhões de postos de trabalhos perdidos, por conta da Lava Jato, entretanto Moro só pensa em tentar fabricar uma prova contra Lula (4), na tentativa de retirá-lo do pleito de 2018.
Moro volta com a denúncia requentada contra Lula, de ser proprietário de um sítio e um triplex. Como os imóveis não são de Lula, e há escrituras provando isso, agora a novidade são dois tickets de pedágio que “provariam” que Lula é o  proprietário do imóvel. 

O episódio já virou piada do tipo: “Compre dos tickets de pedágio e ganhe a propriedade de um triplex”.
Do jeito que vão as coisas, creio que Moro e Dallagnoll, cujos seguidores mandavam os petistas irem para Cuba, no andar da carruagem, vão ter que ir para Miami.
Em resumo, a República de Curitiba amarelou!        

Fonte: 1 - https://www.youtube.com/watch?v=AnKK51ITUQI



Rio de Janeiro, 24 de abril de 2017.

 Autor: Emanuel Cancella, OAB/RJ 75.300, integra a coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), sendo autor do livro “A Outra Face de Sérgio Moro”

 OBS.: Artigo enviado para possível publicação para o Globo, JB, o Dia, Folha, Estadão, Veja, Época entre outros órgãos de comunicação.

   (Esse relato  pode ser reproduzido livremente)







domingo, 23 de abril de 2017

O maior picareta do Brasil, Michel Temer, alerta: Casos de corrupção não vão paralisar o Brasil.

por Emanuel Cancella

...Michel Temer acaba de perdoar divida de R$ 20 BI do banco Itaú com a Receita Federal...

Resultado de imagem para swissleaks?

Matérias de capa publicada hoje domingo, 23/04/17, em o Globo e na Folha, de Michel Temer falando a imprensa espanhola: o Globo, “Não será a corrupção que poderá parar esse país”, Folha “ Efeitos da corrupção não poderão parar o país”.

 

Provavelmente a mídia retribui o aumento astronômico de verba que Temer repassa para as empresas de comunicação. Não podemos esquecer que o dinheiro que compra a cumplicidade da mídia é dinheiro público.

 

Quem sabe na próxima edição nossa mídia golpista não traga uma palavra de ordem do chefe  de um dos comandos que controlam o crime organizado no país, de como diminuir a violência?
Também o que esperar de uma mídia corrupta e golpista? O Globo e  Folha entre outras empresas de comunicação envolvidas em picaretagens na lavagem de dinheiro no Swssleaks cujo valor envolvido é de cerca US$ 7 BI, ou seja, burlaram a Receita Federal (2).

No Brasil a malha fina só pega o trabalhador, enquanto os ricos além da impunidade tem seus nomes resguardado pela Receita Federal. Alias, o presidente golpista, Michel Temer acaba de perdoar divida de R$ 20 BI do banco Itaú com a Receita Federal (1).

Mas do que fazermos a lei dos meios, a que controla os meios de comunicação, que diga-se de passagem existem em todo o mundo desenvolvido, temos que botar na cadeia grande parte dos corruptos donos de empresa de comunicação.  

Fonte: 1 - http://www.revistaforum.com.br/2017/04/16/temer-perdoa-divida-de-mais-de-r20-bilhoes-de-sonegacao-do-itau/   

Rio de Janeiro, 23 de abril de 2017.

 Autor: Emanuel Cancella, OAB/RJ 75.300, integra a coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), sendo autor do livro “A Outra Face de Sérgio Moro”

 OBS.: Artigo enviado para possível publicação para o Globo, JB, o Dia, Folha, Estadão, Veja, Época entre outros órgãos de comunicação.

   (Esse relato  pode ser reproduzido livremente)







sexta-feira, 21 de abril de 2017

Urge que o MPF puna o juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol, por ofensas a Lula

por Emanuel Cancella

Resultado de imagem para a outra face de Sergio Moro?

Juiz Moro, chefe da operação Lava Jato, e o chefe da Força Tarefa da operação, Deltan Dallagnol, ofenderam Lula, na honra do funcionário público, já que o acusaram de vários crimes, mas sem qualquer tipo de prova.
Luiz Inácio lula da Silva foi, por oito anos, o presidente do Brasil, eleito por ampla maioria dos brasileiros. E ainda saiu de seu segundo governo com mais de 80% de aprovação popular. O cargo de presidente equivale ao de funcionário público número um.
Moro e Dallagnol, com a denúncia e acusação sem provas, não estariam ofendendo assim a honra do funcionário público, Lula? Está muitíssimo claro que se trata de perseguição política, pois estão desesperados para afastar Lula das eleições de 2018 e como não têm nada contra ele, inventam.
E ambos, juiz Moro e Dallagnol, agiram em dobradinha, já que o procurador Dallagnol denunciou e o chefe da operação, juiz Sérgio Moro, aceitou a denúncia vazia, num espetáculo deprimente de dois operadores da lei. Isso porque foram palavras do próprio procurador Dallagnol, "Lula, sem provas, mas com convicção, seria o comandante máximo da corrupção na Petrobrás". 
Aliás, em dezembro de 2016, Moro pediu e o MPF me denunciou, por possível ofensa ao funcionário público. Fui intimado, provavelmente por escrever um livro, exercendo meu direito de crítica até hoje garantido pela Constituição Federal, “A outra face de Sérgio Moro” ou por ter denunciado formalmente ao MPF, em novembro de 2016, a omissão da Lava Jato em relação à gestão do tucano Pedro Parente. Saiba dos locais de venda do livro(6).
Parente está liquidando a Petrobrás, vendendo ativos públicos, sem licitação, para quem e por quanto ele quer. Com o agravante de que Pedro Parente já é réu em outra ação sobre venda de ativos, quando ministro de FHC (1).  
Na mesma tese de acusar sem provas, Moro e Dallagnol acusam Lula de ser proprietário de um apartamento triplex e de um sítio. A sociedade e qualquer estudante de direito sabe que, de forma elementar que  para provar se alguém é proprietário de um imóvel,  basta a escritura.

Mas essa turma quer provar que Lula é dono do triplex, com base em nada, já que a escritura está em nome da OAS. Simples assim. Há relatório da PF comprovando que Lula não é o dono do tríplex (5). Mas a Lava Jato insiste em perseguir Lula para prendê-lo ou para retirá-lo do páreo em 2018, impedindo-o de se candidatar.

Fazem o mesmo com o sítio em Atibaia, cuja escritura não tem nada a ver com Lula, mas querem provar a propriedade com a afirmação de que Lula teria ido lá 101 vezes (não sei como contaram), ou porque lula comprou pedalinhos e um  barco sem motor.

O Detran, quando um motorista é responsável por um acidente grave, manda-o de volta à escola para saber se ele faz jus à carteira de habilitação de motorista. Não seria o caso de mandar os dois (juiz e procurador) de volta aos bancos acadêmicos, pois eles desconhecem o elementar, para qualquer estudante de direito: Não existe crime por convicção muito menos sem provas!   

Fonte:
1 - http://www.redebrasilatual.com.br/blogs/helena/2016/06/presidentes-da-petrobras-e-do-bndes-sao-reus-em-acao-por-rombo-bilionario-9872.html 
4 - http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2016/11/justica-de-sp-absolve-vaccari-em-acao-sobre-caso-bancoop.html
6 - http://emanuelcancella.blogspot.com.br/2017/03/lancamento-do-livro-outra-face-do-juiz_56.html

Rio de Janeiro, 21 de abril de 2017.

 Autor: Emanuel Cancella, OAB/RJ 75.300, integra a coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), sendo autor do livro “A Outra Face de Sérgio Moro”

 OBS.: Artigo enviado para possível publicação para o Globo, JB, o Dia, Folha, Estadão, Veja, Época entre outros órgãos de comunicação.

   (Esse relato  pode ser reproduzido livremente)







Eleição no Sindipetro-RJ nos dias 25 a 28.



Aos Petroleiro(a)s do Rio de Janeiro!
Resultado de imagem para sinedino e Graça Foster
Entreguismo!
A nossa chapa 1- “Unidade para Lutar – FNP/CUT” nasceu de uma plenária no último dia 30, onde todos os agrupamentos que compõem a atual direção foram convidados nominalmente (PSTU/CSP-Conlutas/PCB/ MAIS/Inimigos do Rei/Anarquistas e Independentes), bem como toda a categoria petroleira.
A nossa proposta seria dividir democrática e igualitariamente a direção, incluindo Coordenação/Colegiados e liberações. Nesse sentido, realizamos inúmeras reuniões. Todavia, surpreendentemente, faltando pouquíssimo tempo pactuado para fecharmos a chapa, fomos traídos pelo outro grupo, sob a hegemonia do PSTU-CONLUTAS e seus “cordeiros”. Ao invés da unidade, muito pelo contrário, apelaram para a divisão. Elaboraram e baixaram o “Ato Institucional 1”: Ficou declarado que não mais fariam chapa com nenhum membro do grupo Unidade para Lutar, principalmente com os companheiros Emanuel Cancella e Edison Munhoz. Do grupo Independente, vetaram pelo AI-2, os nomes dos valorosos companheiros Gilberto, Arthur Ferrari e Lucas.
A chapa 1 - “Unidade para Lutar” é oficialmente da FNP. Dos 45 membros inscritos, constam dois valorosos companheiros, Abílio e Joacir Pedro (ex-diretores do Sindipetro-RJ por muitas gestões), que são membros da FUP  e que, sensível ao momento que vivemos, entendem como todos nós, que o mais importante neste instante é a UNIDADE DE TODA A CATEGORIA PARA LUTAR.

Para a nossa plenária do dia 30, anunciamos amplamente que discutiríamos tudo, desde composição da chapa a políticas a serem implementadas na próxima gestão, ou seja, quem quisesse contribuir e se candidatar, companheiros ativos e aposentados, deveriam comparecer na plenária.
Diante da divisão imposta pela outra chapa, buscamos unir o máximo de companheiros da base. E usamos, na plenária, como critério de chapa, deliberação da nossa FNP e de nossa base. A FNP, por exemplo, deliberou no último congresso em Macaé: Unidade FUP e FNP para lutar. E vem também da maioria de nossa base, de ativos e aposentados, a orientação: “Vocês têm que parar de brigar e se unir, FNP e FUP, para enfrentar os inimigos poderosos da Petrobrás e dos petroleiros, ativos e aposentados”. O último Congresso dos Petroleiros, em São Paulo, uniu os sindicatos da FUP e da FNP.
A nossa chapa tem orgulho da nossa última gestão, diferentemente da outra chapa que a deprecia, apresenta-se oportunisticamente como oposição, apesar de ter em sua composição, a maioria da atual direção.

A nossa direção foi a única, dentre os 17 sindicatos de petroleiros, que foi interpelada por Pedro Parente e toda sua diretoria. O Coordenador da Secretaria Geral do Sindipetro-RJ, Emanuel Cancella, foi intimado pelo MPF por ter denunciado formalmente, aquele Ministério, a omissão da Lava Jato em relação à gestão do tucano Pedro Parente. Isso porque Parente promove um verdadeiro feirão com os ativos da Petrobrás, vendendo sem licitação até campo do pré-sal (Carcará), a preço de um refrigerante o barril. E a Lava Jato não toma qualquer providência! Estão entregando nossa Petrobrás e retirando nossos direitos, como Beneficio Farmácia, que hoje sobrevive com o reembolso dos remédios comprados, num processo complicadíssimo. Nos dois últimos acordos foram retirados: aumento real de salário, PLR e abono. A AMS, deteriora-se cada vez mais, com avanço das negativas de tratamentos.  

Não dá jamais para esquecer que o principal apoiador da chapa 2, Silvio Sinedino, enquanto representante dos petroleiros no C.A da Petrobrás, eleito com nosso apoio, jurando defender a Petrobrás e lutar contra a entrega de nosso petróleo, votou favorável à venda do campo BS-04 (Bacia de Santos 04), sem licitação, a pedido de Graça Fortes, para favorecer Eike Batista. Na época, enquanto dirigente da AEPET, condecorou Foster, que defendia os leilões do petróleo brasileiro.
Enquanto Sinedino votava favoravelmente a venda de ativos, a direção do Sindipetro-RJ fazia o enterro simbólico de Graça Foster, em frente ao Edise. Mantinha em seu blog, durante anos, várias denúncias do casal na Petrobrás praticados por ela enquanto gerente no Cenpes. Recentemente, a FNP aprovou, por unanimidade, a entrada na justiça para recuperar esse campo para a Petrobrás. Os sócios da  Aepet cobram uma posição da direção.

A atual direção do Sindipetro-RJ organizou o ato contra o leilão de Libra, recebendo tiros de bala de borracha e enfrentando bombas da Guarda Nacional. E ainda entramos na justiça também para barrar o leilão de Libra.

Na ultima gestão do Sindipetro-RJ, usando a arma dos nossos enterros simbólicos, reintegramos dois companheiros do E&P, injustamente demitidos.
Nas últimas gestões, ocupamos vários prédios da Petrobrás em defesa dos aposentados. Para barrar os leilões de petróleo, ocupamos várias vezes a Agência Nacional do Petróleo – ANP; o ministério de Minas e Energia; a sede da Petrobrás. Alguns de nós, nessas manifestações, fomos presos e outros tiveram braços e cabeças quebradas.   
Por isso, nestas eleições, pedimos a você, bravo e consciente petroleiro, o voto para a Chapa 1- “Unidade para Lutar – FNP/CUT para continuar a luta, com determinação, EM DEFESA DA PETROBRÁS, DA SOBERANIA NACIONAL E DOS DIREITOS CONQUISTADOS!

  
           


domingo, 16 de abril de 2017

Moro, inimigo criminoso de dois símbolos nacionais: Petrobrás e Lula.

por Emanuel Cancella

                               Resultado de imagem para lava jato vaza rapido
A Petrobrás nasceu dos braços do povo, nas décadas de 40 e 50, resultante da campanha de luta O Petróleo é Nosso!. Naquela época, o petróleo ainda era um apenas um sonho, mas mesmo assim a campanha uniu civis, militares, comunistas, conservadores, estudantes e movimentos sociais. Muita gente foi perseguida, presa e morta!

Até outubro de 2016, a Petrobrás, com os impostos que pagava, financiava 80% das obras no país. No governo de Lula, a Empresa desenvolveu tecnologia inédita no mundo, o que permitiu a descoberta do pré-sal. E o pré-sal garante o abastecimento de petróleo, no país, no mínimo nos próximos 50 anos, caso não entreguem tudo. Isso além de que, nos seus 63 anos de existência, ter abastecido o Brasil de derivados de petróleo, ininterruptamente, de norte a sul, de leste a oeste. Nenhuma empresa oferece isso ao país!  

Por outro lado, a mesma Globo que premiou Sérgio Moro, fez campanha no governo de FHC pela privatização da Petrobrás. Na ocasião, na mídia, a Globo comparava a Petrobrás a um paquiderme e chamava os petroleiros de marajás.
Hoje, a Globo, através da Lava Jato, insinua que todo o petroleiro é corrupto. Em relação ao petróleo do pré-sal, cobiçado pelo mundo, a Globo, em dezembro de 2015, em editorial, escreveu “Que o pré-sal pode ser patrimônio inútil.” Se depender da Globo e do Moro, o pré-sal vai todo para os gringos.

Para engabelar o povo, sob o mote do combate à corrupção, Moro, além de entregar a Petrobrás, tenta também destruir um dos maiores presidentes que este país conheceu.
Lula, além de elevar o Brasil a uma das maiores economias do mundo, em seu governo o Brasil atingiu o pleno emprego; tirou o Brasil do mapa da miséria da ONU;  tirou também cerca de 40 milhões de brasileiros da linha da pobreza. Lula alavancou a Petrobrás, retomou a industria naval; não só viabilizou a descoberta do pré-sal como engrandeceu a empresa. A Petrobrás no governo Lula ganhou pela terceira vez o “Oscar” da industria do petróleo (OTC Distinguished). Caso dependêssemos da Globo, a comemoração da descoberta do pré-sal seria num país estrangeiro, isso porque, se privatizasse a Petrobrás como queria FHC e a Globo, o pré-sal iria de bônus.

Não é a primeira vez que usam a bandeira da corrupção para eliminar desafetos. Foi também com o intitulado e armado  “Mar de Lama” que levaram ao suicídio Getulio Vargas Vargas, juntamente com Lula, foi um os maiores estadistas brasileiros. Getulio foi o responsável pela criação da Petrobrás, e pelo voto feminino. Institui a CLT, que garante todos direitos dos trabalhadores, que hoje estão sendo usurpados pelo governo golpista de Michel Shell Temer, com apoio da Globo e do PSDB.  

A corrupção existe desde o início do mundo. Judas vendeu Jesus por 30 moedas. Ninguém é a favor da corrupção e lugar de todo o corrupto é na cadeia, mas  estão dizendo que combatem a corrupção na Petrobrás, quando, na verdade, estão desvalorizando a empresa para entregá-la aos gringos, que estão enlouquecidos atrás de petróleo, mola do mundo.
Como acreditar em um juiz, no caso Moro, que levanta a bandeira da corrupção com uma das mãos e, com a outra, encobre a corrupção estapafúrdia dos tucanos na Petrobrás, apesar de inúmeras denúncias de corrupção no governo de FHC na Petrobrás, inclusive até  envolvendo seu filho (1).

E continua a não tomar qualquer providência quando o também tucano Pedro Parente promove um feirão na Petrobrás vendendo patrimônio do povo, sem licitação, para quem e por quanto ele quer. Até o campo de Carcará do pré-sal foi vendido a preço de um refrigerante o barril.
 Lembrando que Pedro Parente já era réu em ação movida por petroleiros, quando ministro do apagão de FHC (2).

Em novembro de 2016, denunciei, como petroleiro a Lava Jato pela omissão diante da gestão lesa-pátria de Parente na Petrobrás (3). Entretanto, ao invés paralisar o bota-fora na Petrobrás, o MPF ainda veio me acusando, ao me intimar, a pedido do juiz Sérgio Moro, que me acusou de crime contra a honra do servidor público (4).   
Só o povo unido pode salvar a Petrobrás e colocar, no governo, alguém que realmente defenda os interesses legítimos de nosso país e dos trabalhadores.




Rio de Janeiro, 16 de abril de 2017.

 Autor: Emanuel Cancella, OAB/RJ 75.300, integra a coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), sendo autor do livro “A Outra Face de Sérgio Moro”

 OBS.: Artigo enviado para possível publicação para o Globo, JB, o Dia, Folha, Estadão, Veja, Época entre outros órgãos de comunicação.

   (Esse relato  pode ser reproduzido livremente)