sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Sempre a Corrupção!

por Emanuel Cancella
Resultado de imagem para aecio e Moro?
O humorista José Simão não perdoou: “Exclusivo!
 Moro e Aécio estão de caso! Tão ficando!”.
A direita brasileira, quando sente o avanço do país e dos trabalhadores, apela para o mote da corrupção para atacar a democracia. Foi assim, na década de 50, para derrubar  Getúlio Vargas que acabou se suicidando. Diziam que no governo de Getúlio existia um mar de lama. A pressão era só para derrubar Getúlio, tanto que, depois de sua morte, ninguém falou mais no mar de lama. Getúlio foi criador da Carteira de Trabalho (CTPS) e introduziu a CLT que consagrou direitos trabalhistas e previdenciários, entre eles o 13º, férias, o repouso semanal remunerado, a aposentadoria, etc. E foi Getúlio que criou a Petrobrás e o monopólio estatal do petróleo!   

Tempos depois, para derrubar o presidente João Goulart, em 1964, diziam que o presidente tinha instalado no país uma ‘República Sindicalista’, fazendo alusão à corrupção. Além da reforma agrária, o governo de Jango preparava-se para implantar medidas nacionalistas com maior intervenção do Estado na economia. Iria limitar a remessa de lucros ao exterior e estatizar alguns setores econômicos. Também iria expandir o monopólio da Petrobrás (2). Vieram assim os militares por 21 anos!

Para derrubar Dilma, em 2016, alegaram que ela tinha usado as pedaladas fiscais e disseram, mentirosamente, que ela e Lula sabiam da corrupção na Petrobrás(5). Tudo com base do “Teria” e “Seria” da Lava Jato e Globo!

Segundo o próprio Congresso Nacional não houve as pedaladas: “Perícia do Senado diz que Dilma não praticou “pedaladas fiscais (1)”. Mesmo se houvesse não justificaria a saída dela, pois pedaladas não configuram crime. Dois dias depois, o Congresso nacional, descaradamente, ainda transforma pedaladas em lei. E ainda, cerca de dezessete governadores, no mesmo período da acusação a Dilma, teriam praticado as tais pedaladas fiscais(4). 

Temer, que teria vindo em nome do combate à corrupção, é o governo mais corrupto da história da República. E o nosso atual Congresso Nacional que, em nome da moral, tirou a Dilma, é aquele que está aprovando a PEC 55, ‘da morte’, que vai congelar os orçamentos dos estados por 20 anos, tirando recursos das áreas sociais principalmente saúde e educação. O mesmo Congresso que, através da lei 4567/16, está entregando nosso pré-sal, tirando a Petrobrás de operadora de todos os campos do pré-sal.

Paralelamente o tucano Pedro Parente, indicado por Temer,  está fazendo um feirão com os ativos da Petrobrás, vendendo sem licitação petróleo do campo gigante do pre-sal de Carcará a preço de um refrigerante, quando o preço no mercado internacional é de US$ 51. Parente também, entre outros atentados à economia nacional, está passando para os gringos nossa indústria naval, que, a partir de agora, vai construir no exterior os navios e plataformas, gerando para eles emprego e renda.

A justiça, MPF, STF, PGR, em cumplicidade com a mídia, principalmente a Globo, nada fazem! Além de terem legitimado o golpe no país, mesmo que denunciado no mundo inteiro, ainda assistem, de camarote, à demolição do Brasil. O STF ainda passou o vexame de se curvar ao presidente do Senado Renan Calheiro que disse ao STF que não saía e não saiu mesmo!  
Diante de tudo isso, a nossa justiça está só preocupada em blindar juízes e procuradores da punição por crime de responsabilidade, afrontando a nossa Constituição Federal que prega que todos são iguais perante a lei. Além disso, nossos supremos juízes estão altamente preocupados em manter os seus supersalários (6), aliás foi o medo dessa denuncia que fez o STF se curvar ao Renan.  
No Brasil do golpe, vem do presidente do STF e do TST a orientação de que o negociado prevaleça em relação ao legislado. Isso joga por terra os direitos consagrados na CLT, como férias, 13º e outros.
E, diante do silêncio cúmplice de nossa justiça, o golpista Michel Shell Temer lança ainda a Reforma da Previdência que tira a aposentadoria especial de policias, bombeiros, professores e petroleiros. E exige, para aposentadoria, 49 anos de contribuição previdenciária e 65 anos de idade. Já tem trabalhador pedindo a volta da lei do ‘Sexagenário’ que vigorou durante a escravidão no Brasil.
 O que nos alimenta diante de todos esses picaretas, que ousam falar em nome do combate à corrupção, é que ainda prevalece em nossa Constituição no art. 1º em síntese: “TODO PODER EMANA DO POVO E EM SEU NOME SERÁ EXERCIDO".



Fonte: 1 - http://www.viomundo.com.br/denuncias/pericia-do-senado-diz-que-dilma-nao-praticou-pedaladas-fiscais-confirma-ato-falho-da-lider-do-governo-provisorio.html 

2 - http://alunosonline.uol.com.br/historia-do-brasil/reformas-base-jango.html   









Rio de Janeiro, 09 de dezembro de 2016      
                          
Autor: Emanuel Cancella, - OAB/RJ 75 300 
Emanuel Cancella que é da coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP)

(Esse artigo pode ser reproduzido livremente)

OBS.: Artigo enviado para possível publicação para o Globo, JB, Folha, Estadão, Veja, Época entre outros órgãos de comunicação.






Um comentário:

  1. E triste mas é verdade. Estamos todos de braços dados para o precipício.

    ResponderExcluir