terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Pedro Parente faz na Petrobrás pior que a Privataria Tucana com aval da Lava Jato

por Emanuel Cancella

Resultado de imagem para lava jato vaza jato?

As críticas ao processo de privatização de FHC foram tantas. Suas irregularidades e falcatruas estão sabiamente postas no livro Privataria Tucana. E diante desse antro de corrupção, nenhuma CPI e nem operação da Polícia Federal investigaram os negócios escusos de FHC.

Por quê será? E eu mesmo respondo: FHC faz parte da elite de brasileiros que trabalham para a entrega de nosso país, e para retornarmos a ser quintal dos EUA, por isso não foi investigado nem nunca será.  Em conluio com FHC estão MPF, STF PGR e Policia Federal, instituições que hoje dizem querer acabar com a corrupção, quando na verdade trabalham para a entrega da Petrobrás. A bem da verdade existe resistência ao golpe no MPF e na Policia Federa mas a cúpula esta totalmente comprometida com o governo golpista e as sua propostas.

Não poderiam entregar a empresa com a mandatária do país sendo Dilma. Então decidiram desmoralizar a empresa e derrubar a presidente Dilma, que jamais deixaria os abutres no pré-sal. E para isso nada melhor que uma investigação, apresentada tipo realities show, com insinuações mentirosas sobre a presidente e diminuindo a empresa.

Caso quisessem acabar com a corrupção seria só prender os corruptos, sem tornozeleiras, e na prisão. Pois é, a Lava Jato convoca os procuradores estadunidenses para investigar a Petrobrás, mandam os corruptos da empresa testemunharem contra a Petrobrás em tribunais americanos, e deixam o tucano Pedro Parente arrasar a Petrobrás.

Pedro Parente vai além da Privataria Tucana, já que na época de FHC pelo menos, realizava-se licitação, ou seja, várias empresas concorriam e colocavam valores diferentes e vencia ou deveria vencer a melhor proposta, técnica e financeiramente. Apesar de muitíssimo duvidosas as licitações de FHC, pois a Vale do Rio Doce foi vendida por um preço ridículo considerando que era a maior mineradora de ferro do mundo. Na verdade os petroleiros não concordam com a venda de ativos de forma nenhuma pois a Petrobrás é uma empresa integrada de energia essa é a razão de seu sucesso, não aceitamos a sua desintegração.

Com Pedro Parente a coisa é muito pior, vai sem licitação mesmo, é ele quem escolhe para quem e por quanto vender os ativos da Petrobrás, conseguidos por décadas pelo povo brasileiro, resultando num verdadeiro feirão, sendo os principais: o maior e mais rico duto da Petrobrás, a malha do sul da NTS, está sendo “vendido” à canadense Brookfield, ninguém sabe como;
o campo gigante de Carcará, do pré-sal, está sendo “vendido”, sem licitação, ao preço módico de um refrigerante o barril, à norueguesa Statoil.

E ainda, Pedro Parente ainda anuncia a venda da BR, refinarias, fábricas de fertilizantes e de biocombustíveis.

O jurídico da Federação Nacional de Petroleiros conseguiu duas importantes liminares que barram a venda dos dutos da malha do sul e da petroquímica da Suape.

Além de ser sem licitação e ação entre amigos, há mais um agravante que desmoraliza ainda mais os negócios de Pedro Parente: ele próprio é réu em ação que questiona a venda de ativo, no governo de FHC, quando ele era o presidente do Conselho de Administração da Petrobrás (1).

O chamado “Petrolão”, investigado pelo Lava Jato, virou troco em relação aos valores dos negócios de Pedro Parente. E a Lava Jato, que nunca investigou o governo do tucano FHC, na Petrobrás, também não investiga a gestão do também tucano, Pedro Parente na Petrobrás.

E não venham dizer que o petroleiro ficou calado diante desse quadro. Mesmo a direção do Sindipetro-RJ sendo interpelado pelo Pedro Parente e por sua diretoria, principalmente em relação às criticas ao campo de Carcará, os diretores têm mantido posição critica a seus negócios. E foram além, formalizaram, em novembro de 2016, denúncia ao MPF sobre omissão da Lava Jato em relação à gestão de Pedro parente, até hoje sem resposta (2).

Pior, o MPF, através do juiz Sérgio Moro, intimou o autor da denúncia por possível ofensa ao servidor público. Quer dizer, além de a entrega vergonhosa continuar a  correr de vento em popa ainda quem denuncia é que é processado (3)!

Ninguém na sociedade contrataria um Lava Jato que limpa só a metade  do carro?



Rio de Janeiro,  14 de fevereiro de 2017
   
Autor: Emanuel Cancella, - OAB/RJ 75 300 

Emanuel Cancella que é da coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) e autor do livro “A outra face de Sérgio Moro”

 (Esse artigo pode ser reproduzido livremente)

 OBS.: Artigo enviado para possível publicação para o Globo, JB, o Dia, Folha, Estadão, Veja, Época entre outros órgãos de comunicação.




Nenhum comentário:

Postar um comentário