quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

O Grupo Unidade Para Lutar decidiu pelo apoio à chapa 1010, composta pelos companheiros Deyvid Bacelar (titular) e Arthur Bob Ragusa (suplente).

por Grupo Unidade Para Lutar  Eleições de 20 a 28/2
Nossa decisão está fundamentada em vá rias e fortes razões. Os candidatos da FNP, Adaedson, e do Sindipetro-RJ, Ney Robson, foram bem votados, mas nenhum deles alcançou o segundo turno. Com enorme surpresa, foi para o segundo turno, uma candidata que não distribuiu sequer um panfleto nas portas das unidades, como fizeram todos os demais. Uma candidata que propõe representar os trabalhadores que lamentavelmente não é nem pretende ser sindicalizada; se vangloria de ser a favor da venda de ativos; não subscreve o projeto dos movimentos sociais; não defende a Petrobrás 100% estatal e pública. Urge, mais do que nunca, derrotar a candidata do “Vendine”.
Os representantes da direção da Petrobrás e do governo federal já estão contemplados dentro do Conselho de Administração. Agora precisamos de um representante do trabalhador petroleiro e não de mais um representante dos patrões. O candidato Deyvid Bacelar é classista, sindicalizado, tem apoio da FUP (com quem temos fraternas divergências) e tem o compromisso de defender a lei dos movimentos sociais, atualmente em tramitação no Senado Federal, e que conta com o apoio e participação de todos os sindicatos de petroleiros, da FUP, FNP, das centrais sindicais e de todos os partidos de esquerda. Aliás, é importante reconhecer que, a despeito de todas as críticas que possamos fazer à FUP, principalmente nas questões trabalhistas do ACT, e em relação aos aposentados, ela, todavia, tem mantido mobilização permanente em Brasília, no Congresso Nacional, em defesa do nosso projeto de Petrobrás, ou seja, contra os leilões, volta do monopó lio, contra a venda de ativos etc.
Advertimos a todos os companheiros. O momento que atravessamos é de total risco para o destino da Petrobrás, dos trabalhadores e da própria democracia brasileira. Nossa luta tem de ser racional e ardorosa. Tramita do Senado Federal o Projeto de Lei 555/2015 que prevê a privatização de todas as estatais brasileiras. O PL-131 do Senador José Serra prevê a retomada total de modelo FHC e o fim do regime de partilha para a exploração dos campos do pré-sal. Sem esquecer as propostas de se reduzir direitos dos trabalhadores. A chamada legislação trabalhista e a própria democracia com a reforma política.
O saudoso presidente da AEPET, Heitor Pereira, repetia sempre uma frase fundamental sobre eleição em dois turnos: no primeiro turno a gente vota no candidato dos nossos sonhos e no segundo com o candidato mais próximo de nossas propostas.

Grupo Unidade para lutar:

Emanuel Cancella, Edison Munhoz, Carlos Augusto Espinheira, Marco Antonio, Francisco Soriano, Jose Maria, Fernando Leal, Helio Cunha

12 comentários:

  1. Parabéns Camaradas!!
    É uma demonstração inequívoca, do compromisso com a Luta de Classe!
    Fico contemplado com está decisão do Grupo Unidade para Lugar.
    Coloco o meu nome a disposição para apoiar está decisão!
    Axé!
    Nilson Cesário

    ResponderExcluir
  2. Companheiros, não consigo ter a certeza que vcs tem na FUP pois desde o episódio da REPACTUAÇÅO, trouxe para mim um divisor conflitante. Prefiro ficar sem apoiar ninguém. Claro que muito menos a Betânia que é claramente reacionária e uma volta inequívoca ao passado ditadorial.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Me desculpe, foi duas vezes o comentario sem querer!!

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Desculpem companheiros, não sou pretoleira e sim , ASSISTENTE SOCIAL. Tomei a liberdade de opinar como sindicalista pois penso que não votar, significa um voto a menos a um companheiro do campo de esquerda, o que em última análise beneficiaria a candidata representante do retrocesso.

    ResponderExcluir
  7. Desculpem companheiros, não sou pretoleira e sim , ASSISTENTE SOCIAL. Tomei a liberdade de opinar como sindicalista pois penso que não votar, significa um voto a menos a um companheiro do campo de esquerda, o que em última análise beneficiaria a candidata representante do retrocesso.

    ResponderExcluir
  8. Desculpem companheiros, não sou pretoleira e sim , ASSISTENTE SOCIAL. Tomei a liberdade de opinar como sindicalista pois penso que não votar, significa um voto a menos a um companheiro do campo de esquerda, o que em última análise beneficiaria a candidata representante do retrocesso.

    ResponderExcluir
  9. Desculpem companheiros, não sou pretoleira e sim , ASSISTENTE SOCIAL. Tomei a liberdade de opinar como sindicalista pois penso que não votar, significa um voto a menos a um companheiro do campo de esquerda, o que em última análise beneficiaria a candidata representante do retrocesso.

    ResponderExcluir
  10. Desculpem companheiros, não sou pretoleira e sim , ASSISTENTE SOCIAL. Tomei a liberdade de opinar como sindicalista pois penso que não votar, significa um voto a menos a um companheiro do campo de esquerda, o que em última análise beneficiaria a candidata representante do retrocesso.

    ResponderExcluir
  11. Desculpem companheiros, não sou pretoleira e sim , ASSISTENTE SOCIAL. Tomei a liberdade de opinar como sindicalista pois penso que não votar, significa um voto a menos a um companheiro do campo de esquerda, o que em última análise beneficiaria a candidata representante do retrocesso.

    ResponderExcluir